Polícia Militar da Bahia

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

PPP - Itabuna

E-mail Imprimir PDF

 

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

 

 

APRESENTAÇÃO

Este projeto pedagógico refere-se ao Colégio da Polícia Militar Antônio Carlos Magalhães, situado á avenida Manoel Chaves, s/n°, bairro Jardim Primavera, Município Itabuna, estado da Bahia, criado a 30 de março de 2005 de acordo com o decreto de criação n° 9382, tendo como objetivo ampliar com qualidade o atendimento aos alunos do Ensino Fundamental e Médio.

Com aproximadamente 1.200 alunos, 80 funcionários entre profissionais militares e civis, oferece os ensinos Fundamental e Médio nos turnos matutino e vespertino.

O projeto político Pedagógico do CPM procura enfatizar a necessidade da busca pela qualidade e pelo sentido do trabalho que se faz. Acreditamos  no Projeto Pedagógico como um instrumento necessário para mobilizar, organizar e sistematizar intenções e ações das pessoas que vivem e fazem o colégio.

JUSTIFICATIVA

Todo ato pedagógico é político no sentido da sua capacidade de formar pessoas (cidadãos e cidadãs) com o objetivo de transformar algum(uns) aspecto(s) da realidade. Partimos da concepção de que “planejar é transformar”, pois toda ação eficaz exige um planejamento coerente com o diagnóstico da realidade onde está inserida a comunidade escolar, bem como ao tipo de aluno que se pretende formar.

O Projeto Político Pedagógico do CPM atende ao chamado da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, n° 9394/96, de 20/12/96 ( LDB ) e Parâmetros  Curriculares Nacionais ( PCN ) que estabelecem critérios nacionais para a sua formulação, ao tempo em que considera prioritária a manutenção do grau de satisfação da comunidade ( interna e externa ) com a escola. Apresentamos no nosso PPP as formas de mediação e propostas de ação.

PERFIL

Estabelecimento de ensino público mantido e administrado pela SEC e  Polícia Militar da Bahia, através de uma parceria, onde elementos norteadores da educação via instrução militar e normas da Secretaria de Educação compatibilizam-se direcionadas para o objetivo maior do COM; o ingresso de seus alunos na Academia de Polícia Militar ( curso de Formação de Oficiais ) bem como em outros cursos superiores e sempre atento às possibilidades dos seus educandos tornarem-se empreendedores; tanto no campo empresarial, institucional, quanto no campo social. Para tanto, as rotinas que compõem a Educação Para-Militar promovem a auto estima dos alunos, bem como a sua capacidade de liderança, a responsabilidade e disciplina em relação ao grupo e a si mesmo. Tais características são de fundamental importância para o trabalho  pedagógico desenvolvido no CPM.

Localizado no bairro Jardim Primavera, neste Município, oferece o Ensino Fundamental II e Ensino Médio, no turno diurno, com 36 salas de aula, 18 no período matutino e 18 no período vespertino. Os serviços prestados são : Biblioteca, Quadra de Esportes, Unitel, Seção de meios Auxiliares, Sefís, Unidade de Desenvolvimento Educacional, Direção e Coordenação.

 

VISÃO

Sermos reconhecidos como uma referência em Educação, Instrução Para-Militar, preparação para o ingresso na APM, cursos superiores, acompanhando as transformações políticas, sociais, econômicas, tecnológicas do mundo contemporâneo.

 

MISSÃO

A educação no CPM pressupõe crença na vida, na disciplina, na ordem, na capacidade do homem desenvolver suas potencialidades, como elemento de auto-realização, preparação para o trabalho e exercício constante da cidadania.

 

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICO-METODOLÓGICA

Diante do contexto  atual, surgem diversos questionamentos entre educadores e demais agentes escolares. Dentre esses questionamentos destacamos dois de fundamental importância:

- Qual o papel social da escola?

- Qual a melhor proposta de organização do trabalho pedagógico para atingir os nossos objetivos?

As bases teóricas deste trabalho estão apoiadas nos estudos realizados principalmente por:

Celso Vasconcelos – Com a sua abordagem no livro entitulado “Coordenação do Trabalho Pedagógico: Do projeto político pedagógico ao cotidiano da sala de aula”, onde estão contidas várias elaborações relativas ao trabalho de construção coletiva do projeto político pedagógico, bem como de sua importância para o avanço da prática no interior da sala de aula e da escola;

Heloisa Luck – Ao trazer um estudo sobre “Pedagogia Interdisciplinar – Fundamentos Teóricos - Metodológicos “. Consideramos que é impossível atingir os objetivos propostos pelo CPM sem uma pratica educativa que nos possibilite superarmos a fragmentação do ensino.

Laurinda de Almeida – Em artigo de sua autoria onde propõe uma reflexão sobre o desafio de articular e mobilizar a equipe escolar para tecer o projeto pedagógico. Trata-se aí de uma experiência concreta de realização de um determinado projeto, onde houve vários avanços na forma de trabalho e de inter-relacionamento. A autora enfatiza a importância formativa e coletiva do PPP.

José Luiz Salmaso e Raquel Maria Bartone – Ao abordarem sobre o papel social da escola, onde afirmam que é necessário a unidade escolar definir que tipo de cidadã deseja formar de acordo com a sua visão de sociedade.

Ilma Passos Alencastro Veiga – Busca conceituar o Projeto Político-Pedagógico dentro de uma visão de construção coletiva, traçando princípios norteadores para a elaboração do PPP;

Dirce Nei Teixeira Freitas – Em texto onde apresenta uma proposta procedimental para a elaboração do PPP da escola afirmando que “este pode vir a ser um importante instrumento de gestão escolar, se orientado pela lógica democrática;

Jackes Dellory – Em livro intitulado: “ Um Tesouro a Descobrir”, que traz explanações diversas com o foco nos chamados “pilares da educação”;

 

OBJETIVO GERAL:

 Desenvolver sólida e harmonicamente, a personalidade dos educando, proporcionando-lhes a formação necessária para o desenvolvimento de suas pontecialidades, como elementos de auto-realização preparação para o trabalho e o exercício consciente da cidadania.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

  1. Preparar os alunos para que participem dos processos de construção da sociedade, a partir do exercício de sua cidadania, contribuindo dessa forma para sua formação como cidadão participativo, crítico, criativo, responsável e compromissado com o coletivo;
  2. Promover situações que possibilitem aos educandos descobrirem e desenvolverem suas habilidades nos múltiplos aspectos da inteligência;
  3. Estimular a auto-estima do corpo docente e discente para capacitá-los a enfrentar situações adversas do cotidiano;
  4. Implementar a gestão participativa;
  5. Efetivar o Colegiado Escolar;
  6. Identificar e buscar parcerias, que possibilitem a implantação e a execução de novos projetos ou atividades pedagógicas;
  7. Criar condições que possibilitem aos educandos dirimir as suas dúvidas e terem respostas aos seus questionamentos;
  8. Oportunizar a valorização do Corpo Docente, através da atualização por intermédio de cursos e de outros eventos, que beneficiem diretamente aos profissionais da escola;
  9. Levar o aluno a compreender o ambiente em que está inserido, despertando nele os valores e as habilidades compatíveis com a vida;
  10. Estimular uma prática pedagógica e “para militar” que vise o desenvolvimento da capacidade de liderança e elevação da auto-estima do aluno, através da descoberta de suas habilidades e competências. 

ESTRATÉGIAS:

Com o intuito de aplicar meios e recursos disponíveis para alcançar os objetivos buscaremos o seguinte:

  1. Promover Semana de Adaptação para os pais e alunos novatos;
  2. Garantir eleição para os representantes dos professores, funcionários e alunos.
  3. Realizar projetos pedagógicos interdisciplinares com o objetivo de formar o cidadão criativo e compromissado com o coletivo;
  4. Promover capacitação em serviços para todos os profissionais do colégio;
  5. Propiciar viagens, visitas, encontros, dentre outros, que possibilitem complementar o ensino oferecido em sala de aula;
  6. Efetivar a instrução policial militar como forma de pratica valores éticos, cívicos e morais;
  7. Otimizar a participação do alunado em desfiles militares, comemorativos, dentre outros;
  8. Promover treinamentos específicos ao ENEM e Vestibular, aos alunos da 3ª Série do Ensino Médio;
  9. Implantar o sistema de monitoria, tendo como responsáveis os alunos que indiquem possibilidades de desempenho favorável;
  10. Vivenciar valores que fortaleçam as relações humanas em virtude da socialização, a exemplo de: campanhas solidárias, visitas a creches, asilos, hospitais, eventos elucidativos sobre sexualidade, meio ambiente, dentre outros;
  11. Estabelecer cultura de planejamento, através das reuniões de AC (Aulas de Coordenação), Planejamento de Curso, Estudo de Grupo, Pesquisa de Desempenho, dentre outros, para manter a qualidade de ensino da escola.
  12.     Promover o comprometimento dos ex-alunos com a missão da escola;

  13. Identificar empresas e instituições civis que possam direta ou indiretamente formar parcerias com o CPM;
  14. Encaminhar alunos a empresas da comunidade, para estágios;
  15. Promover a recuperação após provas finais;
  16. Realizar Conselho de Classe após o termino das unidades e da recuperação;
  17. Cultivar a ética, o dever e a retidão nas ações desenvolvidas na escola;
  18. Apoiar através de um acervo de instrumentos tecnológicos e didáticos a integração dos alunos nas novas demandas do mercado;
  19. Realizar anualmente a Semana Pedagógica;
  20. Promover atividades “extra curriculares” que complementem o processo de aprendizagem ocorrido na sala de aula;
  21. Estabelecer a cultura de multiplicadores através de grupo de estudos, reuniões etc..., em todas as atividades que poderão beneficiar o desenvolvimento do aluno e do professores;
  22. Observar os objetos e as metas descritas no Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE) de modo que a missão seja cumprida e alcançada;

 

PROCESSOS DE APRENDIZAGEM

O devido tratamento que deverá ser dado à produção do conhecimento, é fundamental importância para atingir os objetivos acima delineados. O ensino deverá ocorrer de acordo com o estabelecido nos PCN e LDB, que definem os princípios da interdisciplinaridade e multidisciplinaridade, contemplando os segmentos: professores, alunos, funcionários, dirigentes, pais, além da comunidade como um todo. A aprendizagem deve ser colaborativa ( construção e reconstrução conjunta do conhecimento). A relação aluno – professor deve ser harmônica e motivadora, pois a motivação facilita aprendizagem, sempre procurando criar recriar, vencer obstáculos e ampliar a gama de conhecimentos nessa relação como citamos aqui a relação necessária entre ensino e PCN, continuaremos a refletir sobre posturas pedagógicas que facilitem tal relação. Tais reflexões poderão resultar em mudanças nos métodos e técnicas de ensino logo, buscaremos alcançar uma prática através de projetos, cada vez mais amadurecida e com objetivos cada vez mais alcançáveis, tendo em vista que o trabalho com projetos é um dos mais indicados atualmente para a ressignificação metodológica da escola.

Pra alcançar sucessos nesses empreendimentos contamos com uma estrutura de funcionamento, eventos e uma pedagogia de suporte voltada para o desempenho escolar dos seus alunos e que estabelece  como prioridades:

- A sua estrutura funcional;

- O desenvolvimento da capacidade intelectual e da auto estima dos alunos;

- A capacitação dos professores;

- Atividades para militares ( Disciplina, ética, honra, retidão, elevação de auto estima, amor pela escola, exercício de cidadania, respeito aos símbolos da Pátria, etc).

Para exemplificar citamos alguns eventos que serão operacionalizados com a finalidade de alcançar os nossos objetivos:

- Semana de adaptação dos alunos novatos;

- Oficinas de matemática;

- Oficinas de redação;

- Aniversário da escola;

- Seções de estudo mensais com profissionais sobre avaliação de desempenho e PCN;

- Olimpíada Interna;

- Festival de música;

- Reuniões de pais;

- Relações Interpessoais;

 

ÁREAS DO CONHECIMENTO – ESTRUTURA CURRICULAR

No que diz respeito aos conteúdos, é preciso levar-se em considerações alguns aspectos que demonstram uma postura condizente com a concepção de conhecimento aqui considerada. Os conteúdos produzidos historicamente por toda humanidade que são trabalhados nas diversas disciplinas escolares não devem ser consideradas fins, são meios, instrumentos que devem contribuir apenas aos disciplinares ou programáticos. São conteúdos  curriculares que devem ser contextualizados e, a partir da percepção de seus significados, oferecer amplas possibilidades aos sujeitos que com eles estarão lidando.

No processo de construção do conhecimento, o elemento fundamental são a percepção e compreensão pelo sujeito das relações entre conceitos e entre estes sistemas. Dessa forma é que estaremos preparando cidadãos criativos e não repetidores de conceitos, iludidos pela falsa idéia de imobilidade e de conhecimento absoluto.

Os conteúdos curriculares trabalhados nas diversas áreas ( Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias) no CPM devem contribuir para o desenvolvimento das capacidades de :

Análise/Síntese;

Avaliação/autoavaliação;

Compreensão e Contextualização de conceitos e sistemas;

Reflexão critica/Reorganização;

Conscientização para as transformações sócio-políticas e de interesse coletivo;

 

 

Linguagem, Códigos e  Suas Tecnologias

 

 

A linguagem é um produto das ações humanas, a síntese das experiências, encontramo-nos mergulhados nas linguagens e seus códigos. Dentro dos esquemas das linguagens, destaca-se a principal delas, a linguagem verbal, a fala e a escrita. As palavras e suas relações carregam uma memória, conhecimentos acumulados historicamente sempre renovados. Esses conhecimentos articulam códigos, no caso da fala e da escrita, conceituais e lingüísticos. Conceituais porque envolvem movimentos do pensamento como análise e síntese, abstração e generalização, processos lógicos de raciocínio. Lingüísticos porque  se articulam sob forma de sons, palavras e textos.

Nenhum ser humano nasce falando, biologicamente todos nascem com a possibilidade de emitir sons e a fala é adquirida através da relação social na qual o sujeito está inserido. Essa experiência é composta de um contexto social e cultural que é construída através da interação com o outro.

Os códigos são sistemas complexos, temos como exemplo o conhecimento da língua escrita. Ele reestrutura formas mentais e lingüísticas. O pensamento é registrado através da escrita, que nada mais é do que a parte material da expressão, a letra que em conjunto forma um texto. Percebe-se que o ato de expressar pensamentos de forma concreta em uma folha de papel faz parte de um código complexo. Articular, interagir, organizar, construir e reconstruir são apenas algumas operações complexas que o ser humano utiliza para produzir um texto.

 Saber produzir um texto literário é muito mais do que saber escrever bem. O teatro, o cinema a televisão entre outras linguagens interseccionam linguagens, como a verbal e a visual, e desenvolvem seus códigos próprios. Então, a linguagem, seja ela falada ou escrita, é construída através das relações sociais, com suas diferentes manifestações em cada momento de vida.

As línguas naturais ( a materna e as estrangeiras ), a diversificação da arte, a Educação Física, enfocando o biológico e a cultura, os meios tecnológicos, todos têm em comum a linguagem que é a base de comunicação da humanidade.

 

O nosso colégio procura atender às necessidades do aluno preparando-o para o desafio da vida moderna, formando um cidadão crítico e ativo, levando o jovem a assumir a atitude de questionamento, dúvida e curiosidade para encontrar respostas às questões nucleadoras que envolvem a vida social e o patrimônio cultural que nos foi legado.

 

 

Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias

 

No que concerne a objetivos mais característicos das ciências da natureza e da matemática, o quadro-síntese do PCN/CNM enuncia um objetivo geral, seguido de seu detalhamento:

 

Desenvolver a capacidade de questionar processos naturais e tecnológicos, identificando regularidades, apresentando interpretações e prevendo evoluções. Desenvolver o raciocínio e a capacidade de aprender.

 

  • Formular questões a partir de situações reais e compreender aquelas já enunciadas;
  • Desenvolver modelos explicativos para sistemas tecnológicos e naturais;
  • Utilizar instrumentos de medição e de cálculo;
  • Procurar e sistematizar informações relevantes para a compreensão da situação-problema;
  • Formular hipóteses e prever resultados;
  • Elaborar estratégias de enfrentamento das questões;
  • Interpretar e criticar resultados a partir de experimentos e demonstrações;
  • Articular o conhecimento científico e tecnológico numa perspectiva interdisciplinar;
  • Entender e aplicar métodos e procedimentos próprios das Ciências naturais;
  • Fazer uso dos conhecimentos da Física, da Química e da Biologia para explicar o mundo natural e para planejar, executar e avaliar intervenções práticas;
  • Aplicar as tecnologias associadas às Ciências Naturais na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida.

 

Não podia ser diferente dos objetivos do Colégio da Polícia Militar que tem como base a construção e aplicação de conceitos das várias áreas do conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histórico-geográficos da produção tecnológica e das manifestações artísticas, bem como selecionar, organizar, relacionar, interpretar dados e informações representados de diferentes formas para tomar decisões e enfrentar situações-problema.

 

A construção do conhecimento científico e matemático é claramente disciplinar e dificilmente se poderia conceber um aprendizado que não o fosse. Faz-se, então, a real necessidade de professores especialmente formados para a condução de cada disciplina. Não perdendo o enfoque, obviamente, das situações  vivenciais, a questões reais, avaliando se, ou em que medida, o aprendizado disciplinar desenvolveu habilidades e compôs competências.

 

 

Ciências Humanas e suas Tecnologias

 

 

A expansão da sociedade urbano-industrial está provocando mudanças nos padrões de produção e consumo em todo o mundo, que estão associadas às questões ambientais na escala planetária, como o problema do aquecimento global, que tem exigido o estabelecimento de uma agenda de discussões entre os países.

 

Vivemos em mundo violento e perdemos a capacidade de nos indignar com isso. Antes das duas grandes guerras, havia um código de ética na arte de guerrear. As cenas de violência circulam livremente pela televisão. Os jovens jogam videogame que simulam verdadeiras chacinas nas ruas e se divertem com isso.  Somos submetidos a situações de violência de todo o tipo e na maioria das vezes, nos calamos, o que pode por em risco alguns valores muito preciosos do homem.

 

Por outro lado, o ritmo frenético da inovação tecnológica tem produzido um meio técnico-científico no qual quase toda a economia mundial está imersa.

 

A compreensão dessa realidade multifacetada não tem sido uma tarefa fácil. As ciências Humanas têm respondido a esse desafio constituindo-se numa espécie de filosofia da técnica e da linguagem técnica.

 

Os parâmetros Curriculares do Ensino Médio apontam na direção de desmistificar o poder da técnica e da informação, no sentido de evitar que se perca de vista o elo entre o criador e a criatura. Segundo o documento de referência desta política educacional,

[...] as Ciências Humanas têm um importante papel na compreensão do significado das tecnologias para as sociedades. Apontam tanto os processos sociais que levam os homens a buscarem respostas e ferramentas para a resolução de problemas concretos, quanto avaliam o impacto que as tecnologias promovem sobre essas mesmas sociedades (MEC,1999,p.34).

 

Isso exige familiaridade com os problemas e questões das Ciências Humanas, elementos fundamentais para despertar a inquietação e, ao mesmo tempo, propiciar a segurança diante de novos conhecimentos no esforço de estabelecer a percepção das diferentes situações sociais em que os sujeitos estão inseridos.

 

Os conteúdos da área de Ciências Humanas estabelecem a contextualização à medida que possibilitam o recorte espaço-temporal no qual os eventos sociais, econômicos, políticos ou culturais ganham sentido, refazendo as teias de relações das nossas tradições e raízes culturais e da memória coletiva. Tal propósito procura atender a necessidade dos jovens em demonstrar o domínio de compreensão da realidade social, dando consistência ao seu posicionamento crítico.

 

Propomos, então, uma concepção e prática de ciência na formação de sujeitos construtores de conhecimento, dando um novo significado ao papel da mesma no enfrentamento das questões ambientais, substituindo a visão positivista pela humanista contextualizada. Esta visão tem como significado a participação do humano concreto no conjunto das relações econômico-político-sociais, tendo como referencial ético o bem coletivo, partindo do princípio de que as ciências devem se integrar a todo um sistema complexo de interações na construção do conhecimento.

 

 

SISTEMÁTICA DE AVALIAÇÃO

 

 A avaliação proposta pelo CPM é continua, dinâmica e investigativa, utilizando diferentes instrumentos de coleta de dados. Assim, serão obtidas informações que possibilitarão ao aluno a compreensão do conhecimento permanente em todo o processo de aprendizagem do educando, tendo como base os critérios definidos nos PCNs, que apontam o tipo e grau de aprendizagem  que se espera que os alunos realizem, a cada área do conhecimento.

 

Os professores deverão constantemente buscar informações sobre o que os alunos já sabem acerca do conteúdo a ser abordado; ao conhecer as experiências, vivências e identificar o nível de conhecimento dos educandos ele estruturará, com coerência, o seu planejamento e poderá verificar no final de cada etapa o que foi realizado e assimilado.

 

A avaliação do rendimento da aprendizagem será realizada através de quatro unidades didáticas, cujos períodos serão definidos para cada exercício, de acordo com o calendário vinculado pela Secretaria.

 

A avaliação escolar será constante e terá como objetivo a verificação da aprendizagem, do aproveitamento e do desenvolvimento do aluno, com prevalência nos aspectos qualitativos sobre os quantitativos. O professor poderá usar diversos tipos de instrumentos de avaliação: seminários, testes, pesquisas, projetos, resenhas, fichamentos, atividades de argumentar, criticar, julgar, comparar e sintetizar, observando especialmente os aspectos qualitativos, de modo que cada um desses, contribuam no processo de aprendizagem.

 

Fica estabelecida a pedagogia da autonomia tão defendida pelo educador Paulo Freire, onde o professor irá utilizar a modalidade de avaliação de acordo com sua carga horária semanal, sua disciplina e o nível de sua turma, mas deverá discutida e acompanhada pelo coordenador pedagógico para que a escola possa garantir a sua eficácia.

No final da unidade, será realizada uma avaliação cumulativa a fim de verificar a presença de comportamentos mais amplos e as competências adquiridas pelo aluno ao longo do período.

 

A implantação da avaliação institucional, constituída de auto-avaliação e  hetero-avaliação será aplicada em todos os funcionários com o objetivo de garantir um ensino de excelência, superando todas as dificuldades encontradas.

 

 

INTEGRAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DAS ATIVIDADES

 

Em se tratando desse item, deve-se levar em considerações o seguinte:

- Toda fundamentação teórica deverás estar conforme a disciplina;

- Torna-se necessário saber o que será ensinado como base disciplinar;

- O professor deverá estabelecer os objetivos da disciplina com os objetivos da escola;

- É de responsabilidade de todo o Corpo Docente promover o desenvolvimento da leitura, da interpretação e da escrita nos discentes.Então, constata-se que a interação é muito importante, não só para se chegar à integração das atividades, como também para o planejamento no sentido de visualizar uma prática, objetivando mudanças do comportamento do discente sob quaisquer circunstância. Espera-se que isso propicie meios para se chegar a um nível de excelência nesta unidade de ensino.

Outro aspecto de fundamental importância é o desenvolvimento de ações “extramuros” que poderão ser desenvolvidas em consonância com a comunidade, pois ela apresenta relevância de uma grandeza infinita.

Alguns fatores contribuem para tingir-se os objetivos de uma escola de sucesso. Dentre eles o trabalho em conjunto de toda a equipe escolar, liderada pelo diretor que conduzirá administrativa e pedagogicamente, envolvendo  também os pais na melhoria do programa educacional.

A organização e gerenciamento de uma escola devem permite a flexibilidade e diversificação de práticas que visem adequá-las à natureza da cada problema. Para o sucesso de uma  escola é necessário que o trabalho didático-pedagógico esteja adequado às suas características e necessidades e que a proposta pedagógica e a prática de sala de aula constituam base para esse sucesso.

 

A comunidade escolar deve estar aberta às inovações, sem desprezar o que surtiu efeito no passado. O plano de desenvolvimento escolar deve assegurar uma contínua integração entre os professores de modo a permitir um progresso consistente dos alunos no decorrer das diferentes séries e idades.

Para que os professores desenvolvam um bom trabalho dentro da sala de aula é necessário, que os mesmos sejam permanentemente atualizados através de consultorias e/ou coordenadores de áreas especificas.

 

 

PERSPECTIVAS DE AÇÃO

 

(Atividades permanentes)

 

AVALIAÇÃO EXTERNA

 

Julgamos tal avaliação de grande importância, pois a performance dos alunos no tocante ao resultado das provas serve como um dos itens que contribui para a avaliação da Instituição apontando as deficiências sinalizadas através de relatório.

Temos como parte constitutiva do nosso cronograma anual, a realização, durante dois meses, de treinamento específico para o ENEM destinado aos alunos do 3° ano.

 

 

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA

 

Procuramos dar suporte de Coordenação por série levando-se em conta o fato de que o CPM possui uma rotina externamente diversificada. Elencamos a seguir, em linhas gerais, as atribuições da Coordenação Pedagógica:

- Detectar, discutir e analisar junto aos demais atores da escola, dificuldades de aprendizagem;

- Sugerir medidas eficazes para solucionar problemas de aprendizagem;

- Coordenar as ACS;

- Promover estudos sobre metodologias e técnicas de ensino, visando aprimorar o processo didático;

- Acompanhar os professores no cumprimento dos prazos estipulados no calendário escolar.

 

 

PARTICIPAÇÃO E LINGUAGEM

 

 A participação da comunidade de modo geral tem uma importância fundamental pelos seguintes aspectos:

. Ela demonstra o entendimento da proposta apresentada pela escola;

. A sua utilidade é vital para o bom desenvolvimento de o processo pois todos são responsáveis pela educação dos alunos;

. A relação cíclica entre teoria e prática passa por essa participação;

 

Ao objetivar-se uma comunicação efetiva, torna-se necessário que a proposta pedagógica tenha o máximo de clareza possível, não só para a comunidade da escola, mas também para a comunidade extra escola, de modo algum poderá ter barreiras de comunicação, dificultando ou mesmo impedindo o entendimento por parte da comunidade como um todo.

A razão de ser dessa proposta pedagógica deve sempre pensar no bem estar de todos, porque a simplicidade, a humildade, a clareza, a objetividade, a democracia e o querer acertar, às vezes nos leva onde não conseguimos imaginar. E o mais importante é que estamos em processo. Não faremos nada acabado, muito pelo contrário, porque ela será ajustada, criticada, vista ré- vista e sempre submetida a mudanças.

 

 

A ESCOLA QUE PRETENDEMOS

 

A escola que pretendemos é uma escola voltada para a aprendizagem e não apenas para o ensino. O educador deverá estar em continua formação, uma vez que o aprimoramento é indispensável a esse profissional que contribui fortemente para a construção de uma melhor sociedade.

 

Será a escola que prepara o aluno baseada em quatro aprendizagens fundamentais e que se situam ao longo da vida, como pilares do conhecimento: aprender a conhecer (adquirir os instrumentos de compreensão), aprender a fazer ( poder agir sobre o meio), aprender a viver junto( participar e cooperar com os outros em todas as oportunidades) e aprender a ser (integrando os três últimos). Espera-se que este Sistema Educacional possa formar cidadãos capazes de respeitar a ordem mundial no domínio do meio ambiente, enraizados em suas respectivas culturas e aberto a outras, em prol do desenvolvimento da sociedade.

 

Para que a nossa instituição sobreviva é necessário manter os padrões de competitividade vigentes num cenário de mudanças permanentes, em que a regra básica é inovar sempre. Desta maneira estabelecerá uma nova relação com os pais, alunos e sociedade.

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

 

VASCONCELLOS,Celso S: Coordenação do Trabalho Pedagógico -

Do projeto político pedagógico ao cotidiano em sala de aula.

 São Paulo:Libertad,2002.

 

 

 

 

Parâmetros Curriculares Nacionais

 

 

 

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9394/96

 

 

 

 

Fonte: CPM Itabuna – 08 de dezembro de 2008

 

Última atualização em Ter, 05 de Março de 2013 20:35  

Expresso PMBA


BloggerFlickrTwitterYoutubeFacebook
Banner

Bibliotecas virtuais